Página Inicial>Visão Geral>Sistema Financeiro Nacional

Sistema Financeiro Nacional

Avalie essa página:
 [9 avaliações]
Obrigado por sua avaliação.

O sistema financeiro brasileiro é bastante diversificado e conta atualmente com 1.863 instituições (dez/15), entre bancos múltiplos (incluindo o Banco Bradesco), bancos comerciais,  bancos de desenvolvimento,  caixa econômica, bancos de investimento, sociedades de crédito financiamento e investimento,  sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários,  sociedades corretoras de câmbio, sociedades distribuidoras de títulos e valores mobiliário, sociedades de arrendamento mercantil,  sociedades de crédito imobiliário e associações de poupança e empréstimo, companhias hipotecárias, agências de fomento, cooperativas de crédito,  sociedades de crédito ao microempreendedor e sociedades administradoras de consórcio.

Para regular o sistema financeiro, o Brasil possui três órgãos normativos:

i) O Conselho Monetário Nacional (CMN), composto pelo Ministro da Fazenda (Presidente), o Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão  e o Presidente do Banco Central do Brasil, que tem como função expedir as diretrizes gerais para o bom funcionamento do sistema financeiro nacional e possui como entidades supervisoras o Banco Central do Brasil e a Comissão de Valores Mobiliário (CVM);

ii) O Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), que é responsável pelas diretrizes e normas da política de seguros privados; sendo a Superintendência de Seguros Privados (Susep) responsável pela supervisão; e

iii) O Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC) é presidido pelo ministro da Previdência Social e composto por representantes da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), da Secretaria de Políticas de Previdência Complementar (SPPC), da Casa Civil da Presidência da República, dos Ministérios da Fazenda e do Planejamento, Orçamento e Gestão, das entidades fechadas de previdência complementar, dos patrocinadores e instituidores de planos de benefícios das entidades fechadas de previdência complementar e dos participantes e assistidos de planos de benefícios das referidas entidades. É o órgão com a função de regular o regime de previdência complementar operado pelas entidades fechadas de previdência complementar.

Segundo estimativas da Felaban (Federação Latino-Americana de Bancos), em 2014, 66% da população adulta brasileira possuía acesso aos serviços bancários, ou seja, ainda há relevante potencial de expansão no sistema bancário brasileiro.

Em relação ao crédito, a relação crédito/PIB no Brasil fechou em 54,2% em 2015, ante 53,1% em 2014.


Assuntos Tratados com o RI

Comentários

Página não comentada